Publicado 19 de Setembro de 2021 - 10h41

Por Do Correio Popular

Atento aos cuidados que os atletas precisam ter, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) vem reforçando a importância do trabalho de saúde mental com eles e aproveitou o Setembro Amarelo

Reuters/ Mike Segar

Atento aos cuidados que os atletas precisam ter, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) vem reforçando a importância do trabalho de saúde mental com eles e aproveitou o Setembro Amarelo

Os Jogos Olímpicos de Tóquio evidenciaram como a saúde mental é importante para os atletas. A ginasta Simone Biles, dos Estados Unidos, não conseguiu competir em plena forma por causa de um esgotamento emocional. Quem também vem mostrando essa situação no esporte é a tenista Naomi Osaka, do Japão.

Atento aos cuidados que os atletas precisam ter, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) vem reforçando a importância do trabalho de saúde mental com eles e aproveitou o Setembro Amarelo, mês que se refere a uma campanha mundial sobre prevenção ao suicídio, para evidenciar como o esporte pode ajudar a diminuir esse grave problema social.

"Costumamos falar na medicina esportiva que exercício é remédio", diz Ana Carolina Côrte, coordenadora médica do COB. "Os exercícios físicos são muito importantes no progresso da saúde mental da população em geral. Estudos relatam a diminuição da incidência de depressão com a prática de atividades esportivas, por causa de neurotransmissores e hormônios que levam a sentimentos de prazer. A saúde mental é um dos pilares mais relevantes dentro do contexto esportivo. afirmou.

Escrito por:

Do Correio Popular