Publicado 19 de Setembro de 2021 - 9h05

Por Ângelo Barioni/ Correio Popular

O dérbi 201 terminou empatado. O resultado manteve o tabu de 12 anos sem vitória do Guarani no Majestoso. É claro que a torcida pontepretana comemora os números. No entanto, o resultado mantém o Bugre próximo ao G4, enquanto a Macaca permanece em uma situação desconfortável, embora fora da zona da degola. Enfim, ainda que o jogo tenha sido movimentado, com boas perspectivas de vitória de ambas as partes, o resultado em sí atrapalhou os planos de arrancada de Ponte e Guarani.

Dérbi 2

A superioridade técnica do Guarani ficou visível desde os primeiros minutos do clássico. A blitz bugrina, porém, durou apenas os 12 minutos iniciais. Depois, de forma tímida e na base da força, a Ponte saiu mais ao ataque e tomou as rédeas da partida. Porém, as jogadas de ataque foram neutralizadas pelos goleiros Ivan e Rafael Martins que fizeram uma excelente partida. Enfim, Guarani e Ponte Preta terão que recuperar os pontos perdidos no dérbi.

FRASE

"Sorrindo todos os dias".

Pelé, ao comentar sobre seu estado de saúde após retornar à UTI do Hospital

Reforço

O Conselho de Administração do Guarani não fez nenhuma loucura para viabilizar o retorno de Luiz Gustavo no segundo turno da Série B do Campeonato Brasileiro. Os vencimentos do zagueiro, em busca de ritmo de jogo após cirurgia no joelho, estão totalmente dentro da realidade do Bugre e bem abaixo de 2019.

Outros tempos

Durante a primeira passagem por Campinas, Luiz tinha 30% dos salários pagos pelo Guarani, enquanto o Vasco da Gama, então dono do passe, arcava com 70% a cada mês. As cifras, na época, eram pouco superiores a R$ 100 mil.

Psicologia

A preparação para o Dérbi 201 contra o Guarani, na última sexta-feira, fez a Ponte Preta se desgastar mentalmente. Ao longo de toda a semana, Gilson Kleina, alicerçado pela comissão técnica, trabalhou o psicológico dos jogadores da Macaca.

Análise

O estafe da Ponte Preta tem trabalhado em quatro frentes ao longo da Série B: técnica, física, emocional e tática. A palavra equilíbrio dá a tônica para Alvinegra ter regularidade dentro das quatro linhas e conseguir escalar na tabela.

Empolgação

Após vitória sobre a Argentina, Pia Sundhage, treinadora da seleção feminina de futebol, elogiou a atuação de Bruninha, Thais e Katrine. A treinadora ressalta as atuações das estreantes pela Seleção como "animador".

Vacina

O avanço da vacinação contra a covid-19 no País levantou o debate sobre o retorno de público aos estádios brasileiros..

Vacina 2

Ainda sem um consenso entre clubes, federações e os governos municipais e estaduais, muito se discute sobre fórmulas para o retorno do público e os protocolos que serão adotados.

Vacina 3

Em coletiva de imprensa, o governador de São Paulo, João Doria, anunciou que a liberação do público nos estádios acontecerá a partir de 1 º de novembro.

Vacina 4

Segundo o governador, o protocolo sanitário ainda não foi definido e será divulgado em conjunto com a Federação Paulista de Futebol (FPF) e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). No Rio, o governo estadual vetou a volta do público por causa do aumento de casos de covid-19, impulsionados pela disseminação da variante delta.

Vice e Versa

A Revista Metrópole, publicada pelo Correio Popular, traz na edição deste domingo, o Vice e Versa com os narradores esportivos Carlos Batista e Alberto César. Ambos respondem as mesmas perguntas e abordam temas polêmicos. Vale a pena conferir.

Público

Enquanto a polêmica de público nos jogos do Brasileirão deu a tônica para a 21ª rodada, com protesto de 17 clubes contra o Flamengo, que queria a presença da torcida diante do Grêmio, no Maracanã, o Atlético-MG, um dos "isentos" no caso, ao lado do Cuiabá, vai fazer valer a liberação de torcedores em jogos da Libertadores e anunciou o início das vendas de bilhetes para a volta da semifinal com o Palmeiras. Os preços para o jogo do dia 28 de setembro, no Mineirão, variam entre R$ 147,00 e R$ 360,00 para os sócios do clube.

Tags: dérbi

Escrito por:

Ângelo Barioni/ Correio Popular